quarta-feira, abril 16, 2008

Palavras de outros que me dizem muito,

... por isso (digamos que), antes de recomeçar isto "à séria" ando a mastigar as palavras.

" Não faças isso, estás farto de saber que não deves escrever quando estás zangado, quando tudo em ti se agita, quando te morde a impaciência. A raiva. Vá lá, diz a palavra, mastiga-a nos dentes que te rangem. Desde que não a escrevas. Não escrevas. Não escrevas quando estás assim, prometeste tanta vez, sabes do resultado. Como não te deves sentar e começar se, por um acaso, te encontras particularmente eufórico, a achar sentido nas coisas. A escrita, aprendeste à tua custa, dá-se mal com a realidade: não podes transpor emoções ao mesmo tempo que borbulham. Já sabes que a escrita é um vinho, deixa respirar, não avances , não te precipites. Um vinho. Se a raiva te salta, te guia o coração e os tendões, se te retesas, afasta-te das palavras. (...)
Não escrevas quando és um bicho. Quando estás desfeito. Não há pior erro do que o erro do principiante. (...) Se queres pensar nisso por um momento, sai, fecha a porta, vagueia, atravessa ruas sem olhares, deixa-te ir aos encontrões entre os fantasmas anónimos que não te dizem nada. Mas afasta-te. Não escrevas. Não é tempo de escrever. (...)
Vai gritar para outro lado. Só voltas ao ofício quando te tiver passado a raiva. Para poderes escrever sobre ela."
Rodrigo Guedes de Carvalho

6 comentários:

Lipa disse...

Já cá estou! (e pelos visto sou a 1ª eheheh)
Obrigada pelo convite! :)
beijos

Mil Cores disse...

lipa, quase quase a estrear ;-))))

AnaBond disse...

toma um beijo.

Susana disse...

Assim já estou mais feliz. Bjks

Sara CS disse...

Também já aqui estou! Obrigada, amiga.

Lúcia disse...

Bom conselho!